Monday, October 16, 2006

Familiar Feeling ou Back to the Future

À algum tempo tinha adicionado uma amiga no HI5. Uma pessoa que vem lá do fundo do baú! Remonta os tempos em que conheci o amigo com quem ainda hoje falo e conheço à mais tempo. O Ricardo.

De repente nesta segunda-feira ela adicionou-me à sua lista.

Antes do grupo de amigos por parte da Carla, conheci o grupo de amigos por parte da namorada do Filipe Henriques. Antes disso conheci o grupo de amigos da faculdade, do qual o Filipe faz parte. E antes disso tinha um grupo com quem me dava que eram da Escola Secundária do Feijó.

Quando me adicionou, na lista de amigos dela, vi uma cara familiar, pensei: bem! Certamente conheço mais alguém! Comecei a vasculhar os amigos dela e os amigos dos amigos, e para minha agradável surpresa comecei a ver caras que já não via à muitos anos! Que cena!!! Foi uma sensação estranha, pois despoletou recordações muito antigas, de pessoas com quem falava, com pessoas com quem me dava. Muitas delas continuam com as pessoas com quem namoravam e se davam. Uns que agora se começaram a casar, outros que ainda namoram!

Pessoas que formavam o seio da secundária do Feijó na minha geração, fazem agora outros grupos mais pequenos! Eramos adolescentes (uns mais que outros), agora somos todos mais velhos. Nós agora é que somos os cotas.

Fabuloso! Ver as fotos de toda esta gente foi bastante emocionante! (Não, não chorei nem me arrepiei! Mas foi daquelas cenas... UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHUUUUU!)

Acho que o principal choque, o "BAAAAANG", foi ver aquelas pessoas que bebiam que nem uns doidos, uns montavam skates, outros enrolavam coisas, outros enrolavam-se com outros e com vidas privadas.

São agora maridos, homens e mulheres de familia, artistas como sonharam ser, outros não sei, namorados, uns amigos mais chegados que outros... E que agoram partilham as suas vidas na Internet. Será que conseguiram ser quem queriam?

Muitas destas pessoas são aquelas que conhecem o Carlos adolescente. São aquelas que conhecem o meu passado, não escuro, mas meio esquecido por mim. São aquelas pessoas que me viram crescer numa fase importante de qualquer pessoa. Dessas pessoas a única com quem ainda me dou regularmente, a única que sobrou foi o Ricardo.

E agora pergunto-me a mim! Será que consegui ser quem queria? Quem é que eu queria ser?

Sei... sei muito bem que eu era muito, mas muito pequenino cá dentro. Tinha muito para dizer e poucos meios para o fazer. Tinha muito para fazer, mas ninguém me sabia indicar o caminho.

Acho que esta é a minha definição, de "Larger than life!". Isto, meus amigos, é a verdadeira dimensão humana.

Hoje sou uma pessoa muito diferente do que fui. E a cada dois anos que passam, volto a olhar para trás e penso. Quem diria que hoje eu estaria aqui neste lugar? A expansão da mente leva-me a empurrar fronteiras a limites que nunca pensei atingir. Leva-me a conhecer a mim próprio em formas que nunca pensei ter.

Uma vez estudei em História, que o homem devia olhar para o seu passado, para saber como agir no seu futuro. E assim, não repetir os seus erros e traçar novos caminhos.

Hoje, sinto-me um poeta e sinto-me inspirado.

4 comments:

morango said...

E de certeza que estás apaixonado senão não te sentirias assim…

Bjinhos e parabéns pela escrita.

Carla said...

Sempre inspirado e sempre apaixonado! ;) ...pela vida :)

É sempre mt bom recordar bons e velhos tempos, pessoas q não viamos há imenso tempo e constatar q todos nós vamos mudando ao longo da vida...umas vezes pa pior, outras vezes pa melhor, outras assim assim :)

Acredito q no teu caso, é sempre pa melhor :P

BDN

Loira said...

Olá!

Aconteceu-me o mesmo aqui há umas semanas atrás... como as pessoas mudam! A vida dá mesmo muitas voltinhas!


Bjos
Loira

susana said...

bolas, fiquei impressionada! eu conheci o Carlitos com 1.15 cm e dentes de leite! beijas, feliz natal aí p os Guerra Alexandre