Monday, April 16, 2007

Caminhando para a felicidade

Estou a escrever este post porque de alguma forma ou doutra, lido muitas vezes com pessoas que não sabem ser felizes ou simplesmente nunca estão satisfeitas com aquilo que têm.

Aliás! Acho que, às vezes, até eu me esqueço de como se é feliz!

Em jeito de livro de auto-ajuda, vou tentar aqui lançar um desafio e tentar ver e mostrar o "caminho para a felicidade".

Para começar lanço uma simples questão:

"O que é a felicidade?"

Sabem? Já a tiveram? Cruzam-se com ela constantemente? COnseguem reconhecê-la entre o banal e a tristeza?

A seguir pergunto:

"O que é para ti a felicidade?"

Esta pergunta está muito próxima da seguinte que apresento:

"Do que precisas/precisavas para ser feliz?"


Muitas vezes associamos este género de questões a bem materiais e a dinheiro. A perguntas como esta normalmente surgem respostas como:

"Precisava de não ter dívidas!!!" ou então "uma casinha e um carro altamente!"

Também se ouve com alguma frequência a resposta: "Amor."

Todagente conhece bem o ditado que diz:

"O dinheiro não trás felicidade", mas há quem contraponha logo com a resposta "mas ajuda comó cara***!"

Citações à parte, porque então há pessoas com muito dinheiro que são tão infelizes? Porque há pessoas que aparentemente têm tudo que é preciso para ser felizes mas estão sempre a queixar-se.

Porque há pessoas que nunca se contentam com o que têm?

Todos queremos algo que achamos que nos vai melhorar a vida, mas para mim, aquilo que me faz feliz, é também aquilo que me agravam as rugas de expressão: O que me faz feliz é tudo aquilo que me faz sorrir!

Não quero dizer com isto que um indivíduo para ser feliz tem de andar sempre com um sorriso estampado nas ventas. Isso provavelmente até devia doer! O que eu quero dizer é que existem uma série de coisas que influenciam o nosso humor. E quanto mais bem dispostos somos mais vamos tendo a capacidade de rir espontaneamente e quando damos por nós estamos simplesmente felizes.

Acho também que a nossa felicidade está relacionada com o nosso grau de adaptação à realidade.

Por exemplo, imaginamos que aquilo que eu acho que me fazia mesmo feliz seria um Ferrari.

Bom! Se eu tiver dinheiro com fartura! Estou garantido de ser feliz! Mas se no entanto, tu que lês estas linhas, és assim mais ou menos pelintra como eu... Estás bem lixado.

Neste ponto tens algumas hipóteses. Destaco as seguintes:

- Tentas encontrar algo parecido que preencha o requisito;
- Tentas arranjar algo, que de forma diferente, preencha a necessidade que te levou a pensar que comprar um Ferrari te faria feliz.
- Simplesmente ignoras o Ferrari e dedicas-te à vida de campo à pesca ou abdicas de tudo para uma vida celibatária.

Julgo que poucos de vós seguirão a 3ª hipótese. Resolveria tudo, mas provavelmente foi devido a uma trave ou algo pesado que te bateu na cabeça.

Acho que a resposta mais vulgar das pessoas a este problema do Ferrari é adoptar a 1ª hipótese.

Ou seja, não posso comprar um ferrari, mas compro um FIAT vermelho (a bem dizer é dona da Ferrari e portanto é a mesma merda), torno-o rasteirinho graças à bela suspensão KONI. Ah! E colo uns autocolantes a dizer: "o meu outro carro é um Ferrari."

Assim surgem as imitações, a contrafacção, o quase lá e o "é o que se arranja."

Não desfazendo a FIAT (e os seus problemas eléctricos), este género de solução é muitas vezes fruto de frustação. Porque na realidade, seja um Ferrari, uma t-shirt, o restaurante do teu aniversário ou até mesmo um emprego,

parecido não é a mesma coisa que ser.

Porque todos nós queremos aquilo que desejamos! Parece estúpido, mas é assim tão simples!

Agora já estão a dizer: "Fénix Carlos, fizeste-me ler esta merda toda e não dás uma resposta de jeito!"

Calma estamos quase lá!

A questão aqui a resolver, se forem como eu, não é como é que eu posso conseguir um Ferrari! Têm antes de perceber qual a razão que vos levou a pensar que um Ferrari vos faria felizes.

Se estão à espera que aquele produto mais barato que compraram, que é parecido vos satisfará a a necessidade, ou que mais cedo ou mais tarde vão conseguir aquele produto que desejavam, vão passar a vida a esperar e frustados porque o vosso "desejo original" chega tarde, ou porque o parecido, nunca, nunca, mas NUNCA será igual.

Têm de perceber qual é mesmo o vosso desejo e necessidade intíma e só depois tentar materializá-la. Se ainda assim não conseguem pensem mais um pouco e tentem ver o motivo pelo qual queremos os "Ferrari" da vida. Não é tanto pelo o que eles são, mas por aquilo que representam para nós e infelizmente, muitas vezes para os outros.

A nossa felicidade é contruida de momentos de felicidade. E conforme vamos acumulando estes momentos nas nossas vidas podemos dizer que somos felizes. Pode parecer parvo, mas se formos acumulando pequenas coisas da nossa vida, uma e mais outra e outra e formos construindo o nosso bem estar assim, vamos começando a sorrir e às vezes sem que nos apercebamos começamos mesmo a cantar.

Desafio-vos a dizerem-me que pequenos momentos vos trazem felicidade e até a fazerem a vossa listinha daquilo que vos eleva e que vão percebendo como estão e como encaram a vossa vida!

Aqui estão algumas coisas que me fazem feliz:

- Um sorriso da Carla;
- Achar dinheiro na rua ou num bolso meu;
- Um dia de muito sol;
- Um dia de trabalho que até dá para "passear" na net;
- Um saltinho até à praia e sentir que ela é minha;
- Roupa nova;
- Fazer um design que até gosto;
- Sentir o cheiro das flores ou das árvores na rua;
- Marisco barato ou pago por outra pessoa;
- A antecipação de umas férias impecáveis;
- Estar perdido nas ruas de uma cidade que simplesmente não conheço;
- Quando me dizem "Está-se bem é na margem sul que está mais quente";
- Sentir-me em forma;
- Poder pagar uns copos;
- Aquele som bacano, que ainda por cima, só ouvi duas vezes;
- Olhar à minha volta e ter natureza linda a perder de vista;
- Alguém me dizer que fiz uma boa escolha;
- Quando me fazem um elogio;
- Estar estendido na praia a sentir o sol a latejar na pele ou então deitado na água ou sentado na prancha a sentir a ondulação e ver as coisas ao longe;
- Comer bem (no sentido saudável) e na refeição seguinte repetir a proeza;
- Ver o pôr-do-sol;
- Lembrar-me das minhas origens africanas;
- Chegar ao centro sul de manhã e não haver trânsito;
- Sushi do bom;
- Sentir-me saudável;
- Etc etc etc...

E a vocês? O que vos faz felizes? Digam lá!

E como diz o gajo da culinária que viaja por África a fazer uns pratos maravilhosos:

"Façam o favor de serem felizes!"

Wednesday, April 11, 2007

Um pouco mais de Carlão (porque não?)

Beleza natural em todas as fotografias


Agora

Enquanto estou aqui, acabei de jantar bacalhau à "Gomes Sá" directamente do tupperware, remisturado, remixado com queijo, pimenta e azeite, vou então bebendo uma simples Sagres, quando na realidade queria uma Bohemia, vou lembrando-me das voltas que a vida dá.

À tempos tinha escrito um post de sobre isso mesmo! Mudanças e objectivos na vida. Passou tão pouco tempo e muitas coisas novas tenho a dizer. Tou-me a juntar com a Carla , sou o único designer na empresa e recentemente (hoje) tornei-me sócio da minha mãe e terei de começar a pensar também numa carreira de emprego relacionada com certas capacidades de gestão.

De Designer a Gestor, de namoradeiro a junto, de plural a singular e gestor outra vez e mais e mais e mais!

Não me admirava se me dissessem que daqui a 2 anos estava com a Carla noutro país completamente diferente a dar consultas de esoterismo e ela a fazer pulseirinhas de missangas ou um qualquer trabalho de secretariado, para um qualquer mafioso de bom nome.

Ainda Carlão



Monday, April 09, 2007

Páscoa no Norte - As fotos

E lá fomos nós para a aventura! 4 horas para cima e 8 horas para baixo! Fénixxxx!!!
Ainda assim foi divertido! Aqui ficam umas poucas fotos, por agora, desta nossa viagem a "Carlão", terra natal da minha mãe.



Thursday, April 05, 2007

Páscoa no Norte

Vou passar a Páscoa à terra da minha mãe, que tem o lindo nome (a terra) de:

Carlão.

Não. Não é brincadeira. Na algibeira levo:

- Pijama;
- PSP + carregadores;
- Jogos PSP;
- Telemóveis + carregadores;
- Máquina fotográfica + pilhas + carregador;
- Roupas MESMO quentes;
- Lenços / Papel Higiénico;
- Fones;
- Carteira;
- Calçado;
- Boxers e meias;
- Escolher álbuns pá PSP;
- Escova de dentes + material para a barba;
- Coragem para aturar os imigras + padres + familiares que não conheço, mas conhecem-me.

Espero não me esquecer de nada!

Wednesday, April 04, 2007